domingo, 15 de maio de 2011

Vinte dicas para ficar muito rico


Nós somos seres de hábitos. Durante toda vida nos acumulamos hábitos. Temos o hábito de colecionar hábitos. Você deve estar pensando: “nossa esse escritor é doido em um único parágrafo ele colocou quatro vezes a palavra hábito”, pois é talvez seja o hábito.
A verdade é que, durante a vida, definimos uma zona de conforto para nós e, aos poucos, vamos automatizando todas as nossas atitudes de forma a manter esta zona de conforto. Agimos assim para evitar mudanças bruscas no nosso habitat. Pense em um primata na selva, tudo o que ele precisa é água, alimento e um lugar seguro onde conviver com seu grupo. Essa criatura passa a vida inteira circunscrita em seu pequeno universo.
Embora a sociedade humana tenha evoluído enormemente, esse paradigma do primata ainda ecoa em nossa mente. Buscamos instintivamente por segurança, agua e alimento para sobreviver e reproduzir.  
Temos de  reconhecer que estamos presos a uma zona de conforto que limita muito as nossas possibilidades na vida.
A nerolinguística é uma ciência relativamente nova e postula que nossos pensamentos são baseados em uma programação mental. Nós construímos essa programação durante a vida, a partir dos exemplos das outras pessoas, de frases que ouvimos, de imagens que vemos, etc.
Durante a infância ouvimos uma infinidade de vezes a palavra  “NÃO”, passamos por situações estressantes que não são totalmente superadas por nós. E ficam em nosso subconsciente definindo a nossa personalidade. Assim, mesmo depois de adultos, essa história passada funciona como um pano de fundo para todas as decisões e consequentemente ações que empreendemos na vida.
Aí você me pergunta:
- Bacana, mas eu não posso mudar o passado, como faço para que ele não me atrapalhe no presente?
Bem aqui temos uma boa notícia e uma noticia  ótima! Qual delas você quer primeiro?
Ora vamos começar com a ótima notícia. Não estamos condenados a ser assim para sempre. O nosso subconsciente pode ser reprogramado para refletir uma nova realidade.
E agora a boa notícia: Essa reprogramação só depende da sua vontade. Ninguém pode fazê-la por você. Você é o capitão do seu navio. Você sempre define como tudo vai ser!
A esta altura você deve estar pensando que bom, mas vamos parar com essa conversa mole e vamos direto ao assunto.
Vou dividir o nosso estudo em vinte passos. Na verdade cada passo representa uma atitude que você precisa incorporar. Aqui não cabe pensamentos como: “vou fazer mais ou menos” ou “quando tiver tempo eu faço”. Você tem que estar comprometido em ficar rico. 
Outro alerta: O que está escrito a seguir pode ser lido em talvez 20 minutos. Mas, encerra milênios de conhecimento da evolução humana. O texto é pequeno, mas cada tópico poderia ser desdobrado em livros e livros. Não existe um tópico que seja mais importante que o outro, todos são importantes e devem ser praticados simultaneamente.
Ok, chega de lero-lero e vamos aos ítens que você precisa internalizar:
1- Você cria a sua realidade.
Você deve assumir a responsabilidade por tudo que acontece na sua vida. Você está criando tudo que existe em seu redor com o poder do seu pensamento. Tudo que chega até você foi você quem pediu através do seu modo de pensar. Portanto, deixe imediatamente de reclamar. Esse é um hábito pernicioso que obstrui o progresso de muita gente.
O reclamão passa a vida acreditando que é uma vítima do mundo. Deixe de ser vítima e seja um ímã que atrai a vitória. Lembre-se você cria a sua realidade.

2- Defina uma meta grandiosa.
Não se contente com metas pequenas. Procure aquilo que você mais gosta de fazer e seja brilhante nessa área.
Você só irá alcançar aquilo que realmente quiser alcançar. Entre no jogo para ganhar.
Crie metas como ”Vou ficar milionário” ou “Serei o melhor do mundo nesse assunto”. Defina metas que deixarão seus amigos de boca aberta por uns 15 minutos antes de o chamarem de “louco”.
Escreva a sua meta em um papel e leia sempre, de preferência em voz alta. Não hesite em definir uma meta grandiosa.

3- Comprometa-se com a sua meta.
Não importa qual seja a sua meta você tem que estar comprometido.
Não vale um “Ah eu queria ser...”  ou “Ah um dia, talvez, eu vou ser...”.
Você tem que dizer o tempo todo algo assim “Eu vou alcançar a minha meta e nada pode me deter”. Você tem que realçar o seu poder. Estar comprometido significa não desistir jamais! Comprometa-se com a sua meta

4- Pense grande.
Não venda tempo, venda resultado. Olhe ao seu redor e verá que tudo ainda está por fazer. Se você for um bom observador verá que existem muitas coisas que poderiam ser melhoradas. Que as pessoas possuem problemas que não são completamente resolvidos.
Procure identificar essas dificuldades e seja um solucionador de problemas. O criador do Facebook ficou multimilionário resolvendo um pequeno problema de comunicação entre as pessoas.
Lembre-se a sua remuneração se dará na proporção direta do valor que você agregar. Quanto mais pessoas você puder auxiliar tanto maior será a sua riqueza.  Estude as suas habilidades e veja como pode usá-las para solucionar problemas de muitas pessoas.
Pense, quebre paradigmas, saia da sua zona de conforto. Não se sinta pequeno, pense grande.

5- Mantenha o foco nas oportunidades.
Segundo o dicionário Aurélio, oportuno é aquilo “Que vem a tempo, a propósito. Conveniente, favorável, apropriado.” A própria palavra diz que é um evento favorável dentro de um período de tempo. Assim, você deve estar sempre atento para agir quando surge uma oportunidade.
Lembre-se que se você não espera que algo novo possa aparecer, quando eventualmente acontecer alguma coisa favorável você nem sequer irá perceber!
Aí você me pergunta:
Como assim? Se a coisa vai acontecer na minha frente lógico que eu irei enxergar.
Vou ilustrar com uma historinha: Conta-se que um fazendeiro americano, cansado de perder dinheiro com sementes que não germinavam em suas terras, resolveu vender a fazenda  por um preço irrisório. Isso, apenas para se livrar dos constantes prejuízos. O novo proprietário ao ver que ali não crescia nada resolveu encomendar uma análise do solo para ver o que deveria fazer para corrigi-lo. Ficou milionário, sua recém comprada fazenda estava em cima de uma das maiores jazidas de cobre dos Estados Unidos.
Está convencido?
Esteja de olho nas oportunidades elas surgem das formas mais inusitadas.  Quando perceber uma oportunidade entre no jogo com a filosofia: Preparar, agir, corrigir. Se prepare o melhor que puder e no menor tempo possível. Entre no jogo com ação e atitude. Evite ficar postergando com a desculpa de não estar preparado. Assim, quando estiver em pleno vôo, vá corrigindo a direção durante o percurso, apontando sempre para o seu objetivo.
Uma das maneiras de conseguir enxergar as oportunidades é estar sempre otimista. Procure as partes boas em tudo. Lembre-se de que aquilo que as pessoas chamam de “problema” você poderá chamar de oportunidade.

6- Ame tudo aquilo que você quer.
Se você quer ser rico, então admire as pessoas ricas. Leia sobre elas, descubra como elas chegaram lá. Eu tenho certeza de que você vai se surpreender com o que vai descobrir. Atrás de uma personalidade existe uma pessoa igual a você com jeito de ser e ideias muito parecidos com os seus. Verá que sonham, amam, sofrem, tem esperanças exatamente como você. Estude os seus ídolos, siga os seus bons exemplos.
Busque admirar as coisas belas. Admire aquela jóia que tanto quer, admire aquele carro maravilhoso. Imprima imagens deles e coloque em um lugar que você possa sempre ver. E sempre que olhar para as imagens encha-se de amor e envie em pensamento para aquele objeto. Agindo assim você estará criando um forte vinculo entre você e aquilo que quer. Não existem restrições para o amor, assim, ame tudo aquilo que você quer.

7- Busque a companhia de pessoas positivas.
Muitas pessoas acabam se tornando negativas em função do hábito. Acostumam-se a ser negativas e nem se dão conta disso. Novamente, é uma questão de paradigma. O problema é que a negatividade é contagiosa. Basta meia hora de conversa sobre assuntos tristes para entristecer qualquer um! Assim, quanto menos você ler, assistir na tv ou conversar sobre assuntos tristes e negativos tanto melhor para você. Lembre-se que a negatividade só atrasa a sua marcha.
Procure conversar sobre assuntos alegres. Sempre que possível procure mudar a conversa de forma a ver o lado bom das coisas. Se o seu interlocutor estiver se lamentando, ouça com paciência, mas, tente mostrar para ele o lado bom e feliz da situação.
Lembre-se que para voar o avião tem que deixar o chão par trás. A busca pelo seu ideal exige atitude e uma delas é deixar de vez de se lamentar e escutar lamentações.

8- Divulgue o seu trabalho e os seus produtos.
Todo negócio depende de vendas! Lembre-se  as pessoas tem o direito de saber que o seu produto existe. Pense um pouco qual é o valor de um veio de ouro dentro de uma montanha? Nenhum! Lá dentro da montanha ele não serve para nada.
É necessário retirarmos o tesouro que está escondido lá dentro de nós. Se você não externar os seus conhecimentos e habilidades eles ficarão sempre como uma possibilidade latente. 
Eu tenho certeza que aí dentro de você existe muita coisa que o mundo se interessa muito. Você não está aqui por acaso, nem veio a esse planeta à passeio. Você tem uma missão, precisa deixar a sua marca. Precisa mostrar do que é capaz. Acredite em você, erga a cabeça, encha os pulmões de ar e diga: “Eu sou capaz de mudar o mundo”. E pode acreditar que é.
Confie na sua intuição, cuide dos seus sonhos, materialize-os. A Terra precisa de pessoas determinadas e capazes. Olhe ao seu redor existem muitas coisas que estão aguardando a sua inspiração. Invista em seus talentos e faça o mundo saber que eles estão aí prontos para entrar em ação.

9- Você é maior do que os seus problemas.
Você não deve temer os “problemas”, na maioria das vezes eles são oportunidades disfarçadas.
Você precisa cuidar para não se sentir fraco diante do problema. Quando surgir uma adversidade Olhe-a por cima, mostre o quão grande você é .
Lembre-se o problema só será grande se você se fizer pequeno.
Quando se inicia uma jornada, é impossível saber de antemão tudo que encontraremos pelo caminho. Podemos definir qual estrada pegar, em qual cidade faremos uma parada. Contudo, as verdadeiras nuances do caminho irão surgir conforme caminhamos. Mudar o destino da viagem por causa de uma adversidade não parece uma escolha acertada. Se não puder tirar o problema de sua frente contorne-o mas mantenha-se no curso.
Quando encontrar um problema pela frente, olhe para ele e diga: "pequno, pequeno, pequeno".

10- Aprenda a receber.
Muitas pessoas têm dificuldades em receber, seja um presente ou mesmo um elogio. E correm a retribuir com outro presente ou negando o elogio. Você deve estar ciente que existem momentos de dar e momentos de receber. Esteja atento pois nesse exato momento o universo está querendo lhe dar algo que, talvez, você esteja se negando a receber.
Lembre-se que coisas boas vêm de todos os lados em sua direção e, talvez, por medo você esteja se esquivando delas. Considere-se merecedor de todo o bem que o universo pode lhe oferecer. Afinal você ajuda a criar o universo com os seus pensamentos.
T. Harv Eker costuma dizer que nada tem significado.  Nós mesmos é que  atribuímos significados às coisas. Recusar-se a receber é negar ao outro o prazer da doação, é fazê-lo infeliz.
Aprenda a ser grato por tudo o que você tem e recebe. Agradeça de coração por tudo que vem até você. Sinta-se um ímã que atrai só coisas boas. Esteja sempre aberto a receber todo o dinheiro, saúde, paz, amor, satisfação e felicidade que o Universo queira lhe mandar.

11- Prefira ser remunerado pelos seus resultados.
Nos dias de hoje é muito comum as pessoas venderem tempo. Não há nada de errado com isso. O problema é que vendendo seu tempo para uma empresa, você limita as suas possibilidades de ganho. Isso coloca você no paradigma de sempre receber  a mesma quantidade de dinheiro todo mês. E assim passa a acreditar que não tem como alterar isso.
Sem fazer nenhuma loucura do tipo deixar o seu trabalho atual, pense no quê você poderia fazer de forma a ser remunerado pelos seus resultados.
Por quê?
Vamos supor que você produza alguma coisa e receba um grande pedido. Você pode produzir o máximo de sua capacidade e terceirizar o resto, e com isso ganhar mais dinheiro.
Você também pode a médio ou longo prazo aumentar a sua capacidade de produção. Enfim, o controle do negócio está em suas mãos. Forneça um bom produto, a um bom preço e cuide bem do seu cliente que o sucesso será uma questão de tempo.

12- Dinheiro é energia.
Dizem que tempo é dinheiro. Agora, dinheiro é muito mais do que tempo, dinheiro é um tipo de energia. O dinheiro não faz você ser melhor ou pior do que você é. O dinheiro simplesmente intensifica quem você é, alarga as suas possibilidades.
Se você é uma pessoa caridosa o dinheiro fará com que você possa ajudar mais pessoas necessitadas. Se você é um empreendedor o dinheiro permitira negócios mais ousados.
O dinheiro em circulação acrescenta valor à vida de todas as pessoas. Quando você vai tomar o seu café da manhã vai encontrar na mesa leite, pão, manteiga. Pense um pouco, alguém engarrafou o leite, alguém assou o pão, alguém preparou a manteiga. Outras pessoas transportaram todas essas coisas para a sua cidade. E o meio comum para tudo isso acontecer foi a energia do dinheiro.
Sempre que você gastar o seu dinheiro lembre-se de que a medida que ele passa de mão em mão irá criar valor para cada uma dessas pessoas.
Acumular dinheiro é como acumular energia. Esse acúmulo lhe dará mais potência no futuro. Cabe ressaltar que você deve separar o mesmo valor para a popança e para a diversão. Desse modo você estará equilibrando o seu racional e o seu emocional.

13- Mantenha o foco no seu Patrimônio Líquido.
Riqueza se mede por Patrimônio Líquido e não por salário. O seu patrimônio liquido é a soma dos valores que você tem em dinheiro mais os valores dos seus bens (a preço de mercado) subtraindo os valores  de todas as suas dividas (PL = Valores em Dinheiro + Valores Bens – Dívidas).
É bastante saudável, a cada 3 meses você fazer o cálculo do seu patrimônio líquido e compara-lo com o valor do trimestre anterior. Assim você terá uma visão do crescimento de sua riqueza. Manter o foco no PL nos ajuda a controlar as finanças de forma estabelecer um crescimento em nossa riqueza.

14- Administre o seu dinheiro.
Separe o dinheiro que você ganha em contas, de forma a administrá-lo melhor. Por exemplo, separe uma parte para suas despesas domésticas, outra parte para poupar, outra para se divertir, uma outra para despesas de longo prazo. Se você tem o hábito de fazer doações separe uma conta para elas. Lembre-se que o dinheiro doado deve ser carregado com amor. Separe também  uma conta para estudos.
 As contas acima são apenas sugestão. Cabe a você definir qual a melhor divisão. Contudo duas coisas são importantes ressaltar:
  • É imperativo dividir seu dinheiro em contas e manter o controle individual para cada uma delas.
  • E é muito importante que o valor destinado à poupança seja igual ao valor destinado à diversão. Porque você merece se divertir e precisa poupar.

15- Invista o seu dinheiro.
Procure o gerente do seu banco, pergunte para ele qual seria uma boa aplicação para o seu dinheiro. Divida o seu dinheiro em vários tipos de aplicação. Pesquise o risco e a rentabilidade de cada tipo de aplicação financeira e opte por aquelas que mais o agradem. Lembre-se que dividir o dinheiro em vários tipos de aplicação minimiza o risco.

16- Seja maior que o seu medo.
O medo é um dos maiores entraves da evolução. Por causa do medo muitas pessoas passam a vida inteira estagnadas. Um dos maiores culpados disso é a zona de conforto que criamos ao nosso redor. Definimos o nosso território e não nos aventuramos em ir além.
Devemos estar conscientes dessa tendência e estarmos preparados para agir. É através da ação que você irá materializar as suas ideias. O mundo paga muito bem às pessoas que fazem acontecer.
É muito natural o medo de agir, contudo você deve vencê-lo. Tudo que existe ao seu redor desde um alfinete até o mais impensável propulsor de foguetes à base de oxigênio líquido nasceram na mente de alguém. E foi necessário coragem para materializá-los.
Não deixe as suas ideias presas para sempre na sua cabeça. Planeje uma maneira de materializá-las. Seja maior do que o seu medo.

17- Estude e aprenda sempre.
Você deve estar comprometido com o estudo e o aprendizado. Sempre haverá algo novo para aprender. Misture as coisas, misture as profissões e crie algo novo. O Dr. Lair Ribeiro costuma dizer que o obvio só é obvio para a mente preparada.
Quanto mais você aprende maior será o seu leque de oportunidades. Tome gosto pela leitura. Nunca na história da humanidade o conhecimento esteve tão acessível. Se for necessário, torne-se um autodidata. A internet  está repleta do conhecimento que você precisa.
Estude, estude, estude. Não se deixe ficar obsoleto, estude e aprenda sempre.

18- Faça meditação.

Meditar é extremamente importante para conseguir o equilibrio necessário entre espírito, mente e corpo.
Você deve meditar todos os dias. Encontre um lugar em  que você pode ficar  à vontade por pelo menos  15 minutos. Na minha opinião a melhor posição é sentado, de preferência em uma poltrona confortável.
Coloque um música suave para tocar. Feche os olhos e relaxe todos os musculos, fique consciente durante todo o exercício, não durma. 
Pense nas coisas boas da vida, tudo aquilo que você gosta e que lhe faz bem. Entre em um estado de gratidão por tudo de bom  que o cerca. Pense nas coisas que você quer conquistar na vida. Mentalize os detalhes. Crie em sua mente imagens em movimento e não fotografias.
Imagine-se de posse dessas coisas. Sinta-se feliz como se já as possuísse no mundo real. Você deve terminar a meditação sempre com um sentimento de profunda felicidade.
19- Seja grato a tudo.
Esteja sempre preparado a agradecer por tudo que você recebe. Pelas pessoas ao seu lado, pelas ideias que surgem em sua cabeça. Agradeça o nascer do sol, agradeça o pássaro na janela. Quando estamos em um estado de gratidão, nosso ser se torna mais leve e mais sintonizado com os sentimentos mais sublimes da vida.
Faça uma lista de tudo que você tem e agradeça por tudo. Faça da gratidão um estado de espírito.
Esse comportamento lhe trará mais clareza durante as decisões que irá tomar. Lhe dará mais firmeza para enfrentar os problemas, o manterá focado no lado bom da vida.

20- Ame e deseje o bem.
Nada pode ser mais importante que a sua capacidade de amar. Forme o hábito de desejar o bem para as pessoas, envie para elas sentimentos de amor. Pode ter certeza de que quando faz isso você é o primeiro a ser beneficiado. Porque tudo que você envia em pensamento retorna para você. Seu pensamento interfere na estrutura subatômica da matéria criando aquilo que você chama de realidade.
Cada pensamento seu é uma criação e acompanha você criando o seu ambiente psíquico, que posteriormente se materializará. Esforce-se por manter bons pensamentos.
Lembre-se de que o amor é o mais poderoso de todos os sentimentos. Ele é capaz de alterar todo o seu ambiente exterior. Cultive o hábito de amar e enviar amor para tudo e para todos. E o Universo responderá com saúde, abundância, paz, felicidade e amor.

Leia o primeiro capítulo de Hathor aqui.


















segunda-feira, 9 de maio de 2011

A Saga de Ÿrm - Final do Primeiro Conto




Um pulso de esperança



Abri lentamente os olhos. Aquilo não era um pesadelo, eu estava realmente preso em um laboratório que, acidentalmente, havia sido transportado para outro planeta através de um salto pela quinta dimensão. 
Nossa situação era bastante complicada. Não tínhamos como nos comunicar e estávamos construindo um transmissor rudimentar na esperança de sermos encontrados.

Levantei-me com dificuldade devido à inclinação do chão. O Dr. Thurnik e mais dois outros rapazes estavam trabalhando no transmissor.

- Como estão os trabalhos? – Perguntei.

- Temos um problema – respondeu o doutor – os poucos comutadores que temos não conseguirão drenar a potência necessária.

- Podemos paralelizar alguns comutadores. – repliquei.

- Mesmo assim, – afirmou Thurnik – possuímos apenas alguns pares de comutadores, que somados não conseguirão atingir o nível de potência que necessitamos.

- O que podemos fazer professor?

- Com a potência que temos, não seremos percebidos em Ÿrm , as ondas eletromagnéticas chegarão lá muito fracas para serem percebidas. Assim eu sugiro que façamos dois transmissores, dividindo os comutadores que temos. 

- Sim, qual é a idea? Voltei a perguntar.

- Um deles manteremos em operação para o caso de alguma de nossas espaçonaves, eventualmente passar perto o bastante para sentir o sinal de socorro. 

- E o outro?

- E o outro nós refrigeraremos o máximo possível e, no momento oportuno, descarregamos um único pulso com grande quantidade de   energia. Isso irá queimar imediatamente os comutadores, porém irá gerar um forte pulso eletromagnético.

- Mas, - indaguei perplexo – e se este pulso passar despercebido em Ÿrm?

- Então, meu amigo, só nos restará rezar para que alguma nave passe aqui por perto.

- O que eu posso fazer para ajudar? – perguntei com a voz sumindo na garganta.

- Por favor, ajude WalthYr com os circuitos eletrônicos. – falou o doutor escondendo uma lágrima.

O tempo passou lentamente. Os dois transmissores ficaram prontos. Todos nós sabíamos que as chances de sermos encontrados com vida era praticamente zero. Resolvemos então deixar um relato de toda a experiência. Assim, se fossemos encontrados no futuro, pelo menos a nossa descoberta poderia fazer algum benefício para a humanidade.

Depois de concluídos os trabalhos cabia-nos apenas esperar. Como não havia o que comer tentávamos tapear a fome com água. Decidimos não gastar as nossas energias, assim passávamos muito tempo deitados.

***

Por fim, penosamente, os 33 khons se passaram, e um pequeno telescópio do laboratório nos permitiu ter uma visão esmaecida do nosso querido planeta Ÿrm. Naquele pontinho do céu estavam todas as pessoas que amávamos tanto.

- Senhor WalthYr, por favor, ligue o primeiro transmissor. – pediu Thurnik algo emocionado.

WalthYr apenas acenou com a cabeça, inclinou-se sobre um painel improvisado e ligou alguns botões. Ouviu-se um pequeno zunido.

- Está operando doutor. – respondeu por fim o rapaz.

- Muito bem, quando podemos enviar o pulso de alta potência? – perguntou o professor.

- Quando o senhor quiser doutor.

- Então faça isso agora, não há motivos para esperar mais.

- Sim senhor.

Ouvimos dessa vez um forte zunido, seguido de uma pequena explosão. Um cheiro de borracha queimada encheu o ambiente. Entreolhamo-nos, a sorte estava lançada só nos restava esperar e rezar. 
Se tudo desse certo o pulso eletromagnético chegaria em Ÿrm  em aproximadamente 1 khon (Pouco menos de duas horas e trinta minutos terrestres). Até organizarem uma nave para resgate e essa chegar levaria mais pelo menos 2 Kohns. Em 3 Khons saberíamos da nossa sorte.

Voltamos a deitar para poupar nossas energias, estávamos todos bastante enfraquecidos pela falta de alimentos.
Vagarosamente os três Khons passaram, depois mais um e depois outro. Já estava bem claro qual seria o nosso destino.

Peguei uma caneta e uma folha de papel e comecei a escrever uma carta para os meus.

Querida e amada CYhara.
Meu rapazinho Yhargo e minha mocinha Tharÿa.

Eu sei que, talvez, vocês nunca venham a ler este papel. Mas eu preciso escrevê-lo mesmo assim.
Primeiro eu queria pedir desculpas por tudo que, eventualmente, possa ter feito a vocês. 
Segundo eu gostaria que soubessem que não importa o que aconteça comigo, o meu amor por vocês é inabalável é indestrutível. 
De onde eu estiver eu estarei olhando por vocês até o limite das minhas forças.
Amada CYhara, me perdoe por não poder dividir com você a responsabilidade e as alegrias de criar os nossos filhos. Sei que cuidará muito bem deles.

Meu filho Yhargo, seja um homenzinho dedicado e cuide da sua irmã e da mamãe para mim.

Minha menina Tharÿa, seja como sempre foi a luz que ilumina o caminho.

Daquele que ama muito vocês
Phytarco Hortheu

Deixei a caneta cair, não iria precisar mais dela mesmo. Sentia muita fome. Pensei um pouco nesse paradoxo. Estávamos em um avançadíssimo centro de pesquisas, cercado de máquinas valiosíssimas, androides por toda parte e nós ali morrendo aos poucos de fome!
Tanto o cérebro quântico do prédio, como as dezenas de androides se desdobravam para deixar-nos o mais confortável possível. A todo momento nos ofereciam água, mas aos poucos íamos ficando apáticos. Olhando para um ponto no infinito. 
A medida que o tempo passava as esperanças diminuíam e muitos de nós já aguardava placidamente a visita da morte.
Meus pensamentos estavam povoados com imagens de CYhara, Yhargo  e Tharÿa. A minha maior dor era morrer longe deles. Fechei os olhos e dormi.

***

- Senhor Phytarco, senhor Phytarco.

Abri muito lentamente os olhos me sentia muito fraco, tive que me esforçar para poder focar o meu interlocutor. Era um androide. Fechei novamente os olhos na esperança que ele fosse embora.

- Senhor Phytarco, senhor Phytarco. – insistiu o autômato.

- Sim. – respondi com dificuldade.

- Uma espaçonave de Ÿrm  se aproxima.

Arregalei os olhos, imprimi em meus músculos uma força que eu nem sabia que tinha. Segurei o braço do robô.

- O que disse?

- Uma espaçonave de Ÿrm  esta a caminho. Acabaram de entrar em contato com o cérebro quântico principal.

Levantei-me e olhei o grande telão. Quase não pude acreditar, uma nave de resgate estava estacionando ao lado do nosso acidentado laboratório.

- Professor! – gritei com dificuldade.

O doutor Thurnik, que também já tinha sido acordado por outro androide se levantou. Lágrimas abundantes corriam dos seus olhos. Não me contive e comecei a chorar de felicidade.

***

Algum tempo depois, estávamos a caminho de casa na enfermaria da grande nave de resgate. Recebemos alimento direto nas veias. Em seguida fomos sedados para dormir livres de estresse. Em pouco tempo eu estava em forma.

Acordei muito bem disposto. A enfermaria estava repleta de androides médicos. Todos da equipe ainda dormiam. Um dos médicos me informou que todos passavam bem. O estado de SwaFlo inspirava maiores cuidados. 

Recebera uma perna mecânica e permaneceria em coma induzido por mais alguns khons.

Deixei a enfermaria e peguei um transleve para ir até a ponte de comando da aeronave. Fui recebido com um largo sorriso pelo comandante da nave senhor Frysths.

- Como está o senhor? Sente-se melhor? – perguntou solícito.

- Agora me sinto inteiro de novo. – respondi retribuindo o sorriso.

- Meu amigo, – perguntou o comandante curioso – como vocês vieram parar aqui? E ainda trouxeram um prédio inteiro!

- Acredita em salto pela quinta dimensão?

- Não sei – respondeu ainda com o sorriso no rosto – mas acho que, pelo jeito, terei que começar a acreditar.

- Pode apostar que sim.

Expliquei ao comandante como tudo aconteceu. Depois entramos em outros assuntos sem muita importância.

- Me diga – perguntei curioso depois de algum tempo – quem foi que conseguiu decifrar a nossa mensagem?

- Que mensagem?

- O pulso eletromagnético que enviamos para o espaço, na direção de Ÿrm.

- Não estou sabendo de nada, de nenhum pulso que tenha sido recebido por qualquer receptor em Ÿrm.

- Mas – agora eu estava realmente atônito – como vocês ficaram sabendo da nossa posição?

- Bem, – respondeu o homem olhando para mim significativamente –  senhor Phytarco, por acaso o senhor conhece uma menininha chamada Tharÿa?

- Sim – falei com as lágrimas aflorando nos olhos.

- Pois bem, ela foi a uma grande rede de TV e falou para todos que seu pai estava preso no planeta UZW23 e que nós deveríamos ir busca-lo. O pessoal do programa achou tratar-se de uma brincadeira. E ninguém deu atenção. Então ela procurou um importante industrial. O homem ficou tocado com a história da menina. E devido à insistência de Tharÿa achou que valia a pena tentar fazer alguma coisa. Então ele financiou a nossa vinda até aqui.

- A minha Tharÿa fez tudo isso?

- Fez sim. Quando avisamos que já tínhamos encotrado os senhores  ela se tornou uma espécie de heroína.

Lembrei do sonho que tive no dia do acinte. A ultima frase de minha filha surgiu incandescente em minha mente “Não se preocupe papai, eu vou buscar você”.  Chorei como criança, enquanto repetia baixinho “muito obrigado minha filha, muito obrigado”.

***

A grande nave de resgate pousou suavemente em seu hangar. Uma multidão de pessoas nos esperava.
A medida que o transleve, que nos transportava, se aproximava da multidão, reconheci alguns rostos familiares. O coração parecia querer sair pela boca.

Tão logo o transleve tocou o chão eu salte e abracei num só abraço a minha salvadora Tharÿa, a esposa amada CYhara e o meu garoto Yhargo. Chorávamos de felicidade. Beijei e agradeci muito à pequena Tharÿa.

O céu estava azul, bem azul um dos sois estava nascendo, como querendo dizer que estávamos diante de um recomeço. O outro sol estava no meio do céu enchendo de luz o nosso planeta. Fechei os olhos e agradeci por ter recebido uma segunda chance.



Fim do primeiro conto.



Leia o primeiro capítulo de Hathor aqui.


segunda-feira, 2 de maio de 2011

A Saga de Ÿrm - Capítulo 4



Um planeta distante

- Senhores – disse Thurnik reticente – não estamos em Ÿrm estamos no planeta UZW23! Fomos tragados para dentro de um buraco no hiperespaço.

- Mas doutor – relutei – o buraco que criamos tinha apenas três mícrons de diâmetro!

- Eu sei – continuou o doutor – talvez, toda aquela energia que estávamos aplicando foi armazenada num tipo de capacitor penta-dimensional, que realimentou o sistema, abrindo um gigantesco buraco.

Olhei instintivamente para a grande tela, não havia outra explicação. Se não estávamos em Ÿrm, só poderíamos estar em UZW23. Lembrei-me de CYhara  e das crianças, senti um forte aperto no coração.  A frase da pequena Tharÿa surgiu como fogo do fundo da consciência.

“Papai, tudo vai dar certo. Não perca a esperança, mesmo se as coisas estiverem difíceis.”

Levei as mãos no rosto. Lentamente o pânico estava tomando conta de mim. Olhei em derredor e li no rosto dos outros membros da equipe o mesmo drama interno. O medo de morrer longe de seus amados estava estampado na face de cada um
.
Provavelmente, todos estavam fazendo silenciosamente a mesma análise da situação:

Em pouco tempo nosso planeta inteiro saberia da tragédia. Seriamos dados como mortos, sequer haveria buscas por sobreviventes. E se não encontrássemos alguma maneira de avisar as autoridades de Ÿrm, jamais seriamos resgatados.

Um silêncio profundo se estabeleceu. Pesados momentos passaram vagarosamente. Dava a impressão que nunca mais sairíamos daquele estado letárgico.

- Senhores – disse Thurnik, quebrando o inquietante silêncio – precisamos nos organizar. Como está SwaFlo?

- Está fora de perigo, senhor. – respondeu o androide médico  - Estou monitorando o seu estado biológico e ele está reagindo bem. Acredito que em dois dias poderei implantar uma perna mecânica, até que seja possível fazer a reintegração dos tecidos biológicos.

- Ótimo – replicou aliviado.

- Doutor, o que acha que podemos fazer? – perguntei.

- Precisamos conseguir avisar Ÿrm, é a nossa única chance. Até porque a nossa descoberta não pode morrer conosco aqui. Está é certamente a maior descoberta científica dos últimos 1500 anos!

Nosso povo já possuía tecnologia para viagens interplanetárias dentro do nosso sistema solar. Nossas espaçonaves conseguiam atingir velocidades próximas da Luz. Assim, se soubessem onde estávamos, uma nave de resgate chegaria até nós em pouco mais de 1 Khon (Umas três horas terrestres).
Lembrei-me novamente da minha família, provavelmente eles ainda nem sabiam do que acontecera com o laboratório. Certamente as notícias em Ÿrm deviam estar extremamente desencontradas. Queria poder avisar CYhara, dizer que eu estava bem, que a experiência fora um sucesso.

- O cérebro quântico do laboratório está funcionando? – perguntou Thurnik.

- Sim senhor – foi a resposta que encheu o ambiente – Estou funcionando perfeitamente. Já tomei todas as precauções para vedar a entrada de metano no prédio, bem como já ativei o sistema de aquecimento para a temperatura interna não cair. Todos os geradores de energia estão funcionando bem. Os reatores de fusão nuclear podem garantir energia por mais de dois mil anos.

- Ótimo, consegue localizar a nossa posição neste planeta?

- Sim senhor, estamos no equador de UZW23, mais precisamente no quadrante K115.

- Temos visibilidade de Ÿrm no céu? – voltou a inquirir o doutor.

- Não senhor, – foi a resposta fria –  pelos meus cálculos, Ÿrm se pôs no horizonte há 0,75 Khon.

- Quando teremos visibilidade novamente?

- Daqui a extatos 33,2 khons (Em tempo terrestre são 3 dias, 7 horas e 30 minutos) -  replicou o autômato de forma imparcial.

- Trinta e três Khons! Exclamei desesperado.

Durante esse tempo ficaríamos sem a menor possibilidade de nos comunicar com nosso planeta. Além do mais, não havia suprimentos no laboratório, não teríamos o que comer durante todo esse tempo. Para piorar ainda mais, tínhamos um ferido em estado preocupante.

- Como está a unidade de tratamento de água? -  perguntei.

- Está em perfeito funcionamento. – responde cérebro quântico.

- Que bom, - respirei um pouco mais aliviado – pelo menos teremos água fresca.

- Temos algum transmissor potente no laboratório? – quem perguntava agora era WalthYr.

- Não senhor. – foi a resposta fria.

- Bem, senhores – falou solicitamente o doutor – temos 33 khons para construir um transmissor.

- O que o senhor sugere? Perguntei.

- Podemos improvisar um transmissor baseado em ondas eletromagnéticas com amplitude modulada. É um modelo bem simples. Energia temos bastante. Colocamos os androides construtores para instalar a antena em um local adequado. Depois é só ligar o transmissor e esperar que Ÿrm receba e consiga interpretar o nosso sinal. Talvez não consigamos enviar um sinal de voz, mas certamente poderemos enviar um sinal binário codificado com pedido de socorro.

***

Os Khons seguintes foram de muito trabalho. Tivemos que improvisar várias ferramentas. A primeira parte do plano consistia em criar um robusto transmissor, capaz de operar em várias faixas de frequência. Não podíamos arriscar uma faixa estreita de frequência que poderia não ser percebido pelos rádio receptores instalados em Ÿrm. 
Tinhamos decidido enviar a mensagem em frequências que iriam desde a faixas operando a alguns quilo-hertz até faixas operando a centenas de giga-hertz.  Contudo, a tarefa mais complicada estava a cargo dos androides construtores. Cabia a eles instalar a estrutura metálica que seria usada como antena. Para isso os autômatos necessitavam enfrentar a temperatura externa, que era muito baixa para esse modelo de androide. Perdemos dezenas de androides durante o processo.

Cinco Khons já haviam passado. Todos no laboratório estavam exaustos. Boa parte do trabalho já estava feito. A antena estava posicionada, o transmissor parcialmente construído, os cabos de ligação da antena estavam instalados e o gerador de alta potência também já estava preparado.

- Senhores – falou o doutor – é melhor irmos dormir um pouco, pelos meus cálculos temos algo em torno de 28 khons até Ÿrm surgir no horizonte.

Realmente, estávamos muito cansados. Não havia nada para comer no laboratório e a fome começava a incomodar.
O piso inclinado dificultava tudo, uma simples caminhada consumia bastante energia. Até mesmo encontrar um lugar para dormir não foi tarefa fácil.
Achei um cantinho, me deitei. Lembrei que era noite em Ÿrm, CYhara devia estar em nosso apartamento, talvez chorando a minha morte. 
Estranhos sentimentos invadiram o meu ser. Em minha mente surgiram meus filhos amados Yhargo e Tharÿa. Será que veria eles novamente? Chacoalhei a cabeça tentando espantar os pensamentos ruins. Enxuguei um par de lágrimas que acabara de escapar de meus olhos. Aos poucos, fui sendo vencido pelo cansaço e dormi.

***

Percebi que o meu ser continuava consciente, me sentei e, para meu espanto, o meu corpo físico continuava deitado! Essa não era a primeira vez que isso acontecia comigo. Assim agi com naturalidade. Certifiquei-me que o corpo físico respirava normalmente. Fiquei feliz, pois não estava morto.
Olhei ao redor e constatei que, no plano extrafísico, havia muitas formas de vida. Criaturas com as mais variadas aparências. Nenhuma delas parecia perceber a minha presença, provavelmente eu estava invisível para elas.
Lembrei da minha querida família. E pelo poder da vontade meu espirito disparou na direção dos meus amados. Milhões de quilômetros foram vencidos num piscar de olhos. De repente eu estava no nosso apartamento. Fui até o quarto e lá estava CYhara chorando desconsolada. A mãe e o pai dela também estavam lá. Senti um aperto enorme no coração. Tentei falar com eles, mas não me viam nem ouviam a minha voz.
Estranhamente eu sentia o desespero deles, e ouvia os seus pensamentos como se falassem em voz alta.
Fui para o quarto de Yhargo. Meu filho dormia profundamente. Aproximei-me e beijei carinhosamente seu rosto.

- Eu te amo, meu filho – sussurrei ao seu ouvido, com as lágrimas brotando descontroladas.

- Eu também te amo, papai – ouvi sem saber de onde vinha a voz.

- Você pode me ouvir? – perguntei esperançoso, porém não obtive mais respostas.

Beijei-lhe novamente o rosto e sai em direção ao quarto de Tharÿa.
Levei um susto ao entrar no quarto da minha filha. Seu corpinho dormia calmamente, mas seu espirito estava sentado no chão ao lado da cama.

- Papai – gritou Tharÿa ao mesmo tempo em que correu em minha direção.

Abracei-a fortemente e choramos. Ficamos abraçados por um tempo.

- Papai você está bem? – perguntou Tharÿa com doçura.

- Sim minha filha eu estou – respondi – aconteceu um problema coma experiência. Mas, estamos todos bem.

- O que aconteceu?

- A experiência saiu do controle e fomos lançados para um outro planeta. – expliquei sem esperar que ela entendesse.

- Qual planeta? – perguntou curiosa.

- É um planeta com nome esquisito minha querida.

- Qual é o nome? – insistiu.

- UZW23 -  falei por fim.

- Não se preocupe papai, eu vou buscar você. – falou com inocência.

Beijei-a e com ternura. Senti que o corpo físico me puxava. Soltei Tharÿa com carinho imenso.

- Adeus meu amor. – falei com a voz embargada

- Até logo papai – falou com alegria.

No instante seguinte, acordei de sobressalto no meu laboratório prisão. Lembrei-me do sonho que acabara de ter. Chorei desesperadamente. Depois de algum tempo caí no sono novamente e dormi por vários khons.



Leia o primeiro capítulo de Hathor aqui.

domingo, 1 de maio de 2011

Nova Promoção Hathor

Promoção: Livro Hathor + Estojo de Maquiagem.

Promoção encerrada. 
Sorteio efetuado em 01/06/2011.

A sorteada foi:


Barbara Cristina Hilla






Parabéns Barbara



------------------------------------------------------------------------------------------------------
Concorra a um exemplar do livro Hathor, de Markus Thayer e um estojo de maquiagem da marca Ruby Rose Cosméticos. O estojo contém: 1 pó compacto, 2 blush's e 27 sombras.
Confira as fotos abaixo:






O sorteio da Promoção será feito no dia 01/06/2011.


Conheça mais sobre o livro Hathor.





Leia o primeiro capítulo de Hathor aqui.

Se não quiser esperar pelo sorteio você pode comprar o seu exemplar autografado Aqui no blog.


Regras para participar:


* Seguir obrigatoriamente o blog: http://livrohathor.blogspot.com/ 




* Preencher o formulário (Que está no final desse post) até o dia 30/05/2011 (O sorteio será feito no dia 01/06/2011 pelo www.random.org).



* Ter endereço de entrega no Brasil.


Aumente as suas chances:



* Seguir @MarkusThayer no twitter e preencher o formulário. 





Se você quiser você pode aumentar ainda mais as suas chances divulgando esta promoção pelo twitter:


* Divulgar no Twitter a mensagem:

#NovaPromo Ganhe: livro Hathor de @MarkusThayer  + Estojo de Maquiagem http://bit.ly/lHYxTn Não perca essa!  




Para cada vez que você fizer o tweet, você deve preencher o formulário novamente para registrar a sua divulgação, não se esqueça de colocar o link do tweet que você fez.
Não existem limites para a quantidade nem de horários para os tweets, apenas tome cuidado com spam.